Pesquisar neste blog

14 de fevereiro de 2009

Niver de Darwin

Nem todo mundo está ligado, mas 2009 é o ano dedicado à memória do cientista e filósofo Charles Darwin, que completou, olha só que legal, no dia último dia 12, 200 anos. Além disso, sua famosa e polêmica obra, tão mal compreendida, também faz aniversário. São 150 anos de “Origem das Espécies” no mundo.

Para não ficar de fora da festinha de publicações na rede mundial, vamos fazer nossa homenagem ao grande homem, que, além de tudo, foi um grande filósofo também.
Interessado por animais, plantas, criação, geografia, Bíblia e muitos outros temas, ele é visto por uns como o homem que matou Deus; e, ao contrário do que muita gente pensa, ele nunca quis. Darwin morreu acreditando em uma divindade, e maravilhado com a grande obra desse Ser. Por outro lado, ele questionava a ideia simplória de um Deus cultivada por muitas religiões. Ele escreveu em seu livro: Não vejo nenhuma boa razão para que as opiniões expostas neste volume choquem os sentimentos religiosos de qualquer pessoa. É satisfatório, para mostrar como essas impressões são transitórias, lembrar que a maior descoberta já feita pelo homem, ou seja, a lei da atração pela gravidade, também foi atacada por Leibniz como ‘subversiva em relação à religião natural e, consequentemente, em relação à religião revelada’.”

Deu pra sentir o drama? O cientista vinha de uma família de livres-pensadores e considerava a Bíblia uma fonte de ensinamentos morais.

Darwin começou a questionar a ideia geral que as pessoas fazem de Deus após a morte de seu pai. Em vida, o genitor era uma referência para o cientista filósofo, e era ateu. Ele não se conformava em ver o pai, um homem justo e exemplar, ser condenado à danação eterna só por rejeitar uma ideia ou uma forma religiosa. O autor de "Origem das Espécies" rompeu de vez com a religião após perder sua filha, que ainda não havia sido batizada. Para Darwin, era demais um Deus tão humano e injusto em julgamentos. Sua esposa, Emma, se opôs ao seu afastamento da igreja anglicana. Ante sua angústia, ele afirmou, em carta ao botânico americano, o evangélico Asa Gray, que a ideia de Deus está muito além da capacidade do imaginário humano.

A mim parece haver muita desgraça no mundo. Não consigo me persuadir que um Deus beneficente e onipotente teria criado as Ichneumonidade [um tipo de vespa] com a intenção expressa de elas se alimentarem com os corpos vivos de lagartas, ou por que um gato deveria brincar com os camundongos… Por outro lado, não consigo me contentar de forma nenhuma em ver este maravilhoso Universo, e especialmente a natureza do homem, e concluir que tudo é o resultado de força bruta. Estou inclinado a enxergar todas as coisas como resultado de leis projetadas, com os detalhes, sejam eles bons ou maus, deixados à mercê do que podemos chamar de acaso. Não que isso me satisfaça de alguma forma. Sinto de forma muito forte que todo esse assunto é profundo demais para o intelecto humano. É como um cão tentando especular sobre a mente de Newton.”

É isso aí... Fica o nosso muito obrigado a esse grande cientista. Valeu, Charles!



Fonte: G1 – blog Visões da Vida, de Reinaldo José Lopes - http://colunas.g1.com.br/visoesdavida

3 comentários:

  1. Olá NA Taguatinga, é ótimo ver este veiculo, a internet, sendo tão bem usado, gostei de ler um pouco sobe Darwin me incentivou a conhecer mais sobre a história deste grande filosofo cientista. Acompanharei este blog atentamente e recomendarei para meus amigos. Forte abraço a todos.
    Saulo César

    ResponderExcluir
  2. Que mais livres pensadores enriqueçam o mundo com filosofia, cultura e ciência! Ótimo blog. Abraços a todos

    ResponderExcluir
  3. Magno Mariz17/02/2009 19:07

    Site deveras interessante.
    Parabéns pelo óptimo projecto.
    Abraços

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails