Pesquisar neste blog

25 de março de 2009

Sócrates entrevista: Marco Aurélio



Olá, amigos! Hoje trago para nosso blog um convidado muito especial. Vamos bater um papo com Marco Aurélio, o Imperador Filósofo. Para quem nunca ouviu falar nele, Marco Annio Vero, seu nome antes de se tornar Imperador de Roma, nasceu em 26 de abriu de 121, durante o reinado do Imperador Adriano. Seu pai, Annio Vero, foi um nobre romano, e seu avô, de mesmo nome, foi cônsul por três vezes. O pai do então pequeno Marco Annio Vero morreu cedo, e o futuro imperador foi educado pelo avô.

Marco Aurélio... de onde veio esse seu nome, pelo qual você ficou conhecido mundialmente?

Ganhei o nome de Marco Aurélio de meu tio, Aurélio Antônio, que sucedeu o imperador Adriano. Ele me adotou para ser seu sucessor, já que não tinha filhos homens.

Você ficou conhecido como o Imperador Filósofo, e sua filosofia foi baseada no estoicismo. Pode falar mais sobre essa corrente filosófica?

O estoicismo foi fundada por Zenão de Cítio, no século III A.C. Dentre outras coisas, a filosofia estóica acreditava no Universo como um grande ser vivo do qual nós homens somos parte integrante. Quando servimos a essa harmonia, não nos deixando escravizar pelos sentidos e pelas paixões egoístas, alcançamos a sabedoria e a felicidade, que não devem estar presas às circunstâncias. É uma filosofia prática, moral, que sigo à risca, pois nós acreditamos, os estóicos, que a virtude deve ser buscada constantemente, independentemente das circunstâncias.

Você não teve vergonha em dizer, no seu livro Meditações, que um pouco de cada uma de suas conquistas quanto ao caráter vem de parentes e amigos. Pode dar um exemplo?

É verdade. Um nome comum hoje, por causa dos cinemas, foi de um amigo, Máximo. Ele me ensinou muito a respeito foi o meu modelo de autocontrole, firmeza de intenções e de boa disposição. O seu caráter era uma mistura admirável de dignidade e encanto, e todos os deveres inerentes à sua condição eram cumpridos sem alardes. Meu pai também foi exemplo de virilidade sem alardes e meu tutor e avô me incentivou a não recear o trabalho, a ser comedido nos meus desejos, a tratar das minhas próprias necessidades, a meter-me na minha vida, e a nunca dar ouvidos à má língua. Acredito que podemos aprender com todas as pessoas, sejam elas boas ou más, e em todas as situações, desde as mais felizes às mais assustadoras.

Muito bom. A doutrina estóica necessita uma aplicação prática. Você pode dar um exemplo de como ser mais feliz seguindo essa linha de pensamento?

Todo dia é importante repetir: “Hoje vou deparar com a intromissão, a ingratidão, a insolência, a deslealdade, a má-vontade e o egoísmo. Todos devidos à ignorância por parte do ofensor sobre o que é o bem e o mal. Como já percebi a natureza do bem e a sua nobreza, a natureza do mal e a sua mesquinhez, e também a natureza do próprio culpado, que é meu irmão, nenhuma destas coisas me ofende, porque ninguém pode envolver-me naquilo que é degradante.”. Na verdade, acredito que nem eu posso ficar zangado com o meu irmão ou entrar em conflito com ele; porque ele e eu nascemos para trabalhar juntos, como, de um homem, as duas mãos, os dois pés, as duas pálpebras ou os dentes de cima e de baixo. Temos que pensar que criar dificuldades uns aos outros é contra as leis da Natureza. Aconselho também que reflitam: “O que é a irritação, ou a aversão, senão uma forma de criar dificuldades aos outros?”.

Já que você falou sobre uma forma de refletir para ser mais feliz, fale agora sobre um mal.

Para uma alma humana, o maior dos males é tornar-se uma espécie de tumor ou abcesso no universo. Isso porque se deixar levar pelas circunstâncias é sempre uma rebelião contra a Natureza. Outro mal é rejeitar um semelhante ou opor-se-lhe com más intenções, como os homens fazem quando estão zangados. Um terceiro, render-se ao prazer ou à dor. Um quarto, dissimular e mostrar insinceridade ou falsidade em palavras ou em atos. Um quinto, a alma não dirigir os seus atos e esforços para um objetivo determinado, e gastar as suas energias sem qualquer fim e sem o devido pensamento; porque mesmo a mais insignificante das nossas atividades deve ter um fim em vista.

E quando nos arrependemos?

Ora... O arrependimento é um remorso pela perda de uma oportunidade útil. O que é bom é sempre útil, e deve ser preocupação de todo o homem bom.

Mas, às vezes, o arrependimento causa dor. Como lidar com isso?

A dor deve ser um mal, ou para o corpo, e nesse caso deixa que o corpo fale por si, ou então para a alma. Mas no caso da alma pode sempre recusar-se a considerá-la como um mal, e assim conservar os seus céus sem nuvens e a sua tranquilidade imperturbada. Porque não há decisão ou impulso ou movimento de aproximação ou de recuo que não tenha de vir do interior do eu; e para o interior do eu nenhum mal pode abrir caminho à força.

Bom, vamos ficando por aqui... Aprendemos muito hoje com você. Muito obrigado, Marco Aurélio!

Obrigado a você, Sócrates. Saiba que te admiro muito. Até mais e continuem com o meu amigo, o tal da filosofia!!!


OBS: Para conhecer mais sobre os pensamentos do grande filósofo Marco Aurélio, leia Meditações, que está disponível para download gratuito ao lado, na seção E-books.

11 comentários:

  1. Que legal!!!!!!!!!!!
    Já estou ansioso pelo próximo.

    ResponderExcluir
  2. Muito bacana o formato da entrevista!
    O blog está melhor a cada nova postagem.
    Sócrates, cê bem que podia fazer uma seção só de entrevistas. Que tal o Sêneca da próxima vez, ein?

    inté
    =)

    ResponderExcluir
  3. Olá, Yoko.
    Comcerteza entrevistarei muitos filósofos ainda. O próximo já está em andamento. Aguarde a surpresa!
    Mas vou entrar em contato com meu companheiro estóico Sêneca também para ele nos falar mais de suas ideias.
    Abraço, Sócrates.

    ResponderExcluir
  4. Muito legal essa idéia!!Assim vamos conhecendo cada vez mais os grandes filósofos da história. Parabéns Sócrates!!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom!
    Fantástico!
    O que sairia de um diálogo com um acusmático?

    ResponderExcluir
  6. Muito bom!
    Ótima mensagem,
    um resumo bem elaborado
    e divertido sobre um
    grande filósofo, parabéns!!!

    ResponderExcluir
  7. Agradeço imensamente a participatação de todos na entrevista com o imperador-filósofo Marco Aurélio!
    Foi um grande sucesso!
    O público foi grande e espero que todos continuem participando no blog, comentando, dando sugestões para novos entrevistados e de outros acontecimentos culturais e de entretenimento.

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pelo belo trabalho que estais fazendo.
    Que vc seja iluminado e nos brinde cada vez mais com a filosofia adaptada aos tempos atuais. Quanto mais fácil a comprendemos mais absorveremos a importância de vivermos de acordo com sua sabedoria.

    Viva a Filosofia!!!

    Muito Obrigado!!!

    ResponderExcluir
  9. Apóio o Everton! Muito ba a entrevista!

    Abraços a todos!

    ResponderExcluir
  10. Excelente! Nunca imaginei um encontro como esse! Inspirador, leve e cativante, eu diria. Obrigado pelos ensinamentos, Sócrates!

    ResponderExcluir
  11. Philo-sophos05/10/2009 17:21

    Muito bom!!!!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails